quinta-feira, 11 de junho de 2009

..."entre gente remota edificaram Novo Reino"...*





LEGENDA
Da esquerda para a direita:
1ª fila:
1. Igreja de S. Paulo, Macau (ruínas)
2. Convento de S. Francisco de Assis da Penitência, Ouro Preto, Brasil
3. Fortaleza de Diu, Índia
4. Convento de S. Francisco da Ordem Terceira, S. Salvador da Bahia, Brasil
2ª fila:
1. Basílica do Bom Jesus, Goa, Índia
2. Fortaleza de Diu, Índia (outra perspectiva)
3. Fortaleza de Qal'at al-Bahrain (não foi eleita entre as 7 +, mas para mim é a mais surpreendente, pela localização)
4. Fortaleza de Safi, Marrocos (tb não foi uma das 7+)
3ª fila:
1. Cidade fortificada de Mazagão, Marrocos
2. Cidade Velha de Santiago, Cabo Verde
3. Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, Congonhas, Brasil (não está entre as 7)
4. Convento do Carmo, Luanda, Angola (não faz parte do top7)
(a vermelho, estão as 7 eleitas)

Pois é, os Portugueses partiram

*«(...) da Ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca de antes navegados
Passaram ainda além da Taprobana
E em perigos e guerras esforçados
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram; »

Os Lusíadas, Luís de Camões
(Canto I, 1ª estrofe)



Tenho que confessar que só há muito pouco tempo soube que estava a decorrer esta votação para a eleição das 7 maravilhas de origem portuguesa no mundo.

Soube tarde, mas fiquei entusiasmada e muito orgulhosa da herança dos meus antepassados.

Não me vou pronunciar quanto à validade deste tipo de "concursos", porque pode sempre haver lugar a incertezas e ambiguidades, já que estas votações dependem de muitos factores, diferentes graus de divulgação, porque é que uma é mais importante que outra, etc., etc.

Mas, de qualquer modo, pelo menos teve a grande vantagem de divulgar os 27 monumentos, dos quais foram escolhidos agora estes 7. Para mim foi uma surpresa saber da existência de construções erigidas por portugueses em locais como a Etiópia, o Quénia, ou o Bahrain!

Para finalizar, quero sublinhar aqui as palavras sábias da querida Cláudia, que, apesar de reconhecer o valor desta herança arquitectónica, disse tudo:

«O feito mais brilhante desse pequeno país Europeu, foi colocar a língua portuguesa na boca e na alma de mais de 300 milhões de pessoas.»

Falou e disse! É isso aí, menina! :)

11 comentários:

Lina Querubim disse...

Beijokas bom feriado ;)

ameixa seca disse...

Concordo completamente com a Cláudia :)

Eu Mulher disse...

Realmente são monumentos belíssimos!

Beijos

Isabel disse...

Adorei o teu post, mana, está lindo! E eu também concordo com a Cláudia.
Bjs

RUTE disse...

Realmente como é possivel os portugueses terem chegado a tanto lado e em todos os cantos do mundo ser falada a lingua portuguesa!

Já tivemos o mundo nas mãos mas não o soubemos preservar :-(

Obrigada por este momento de historia além fronteiras. Beijoka.

Mari disse...

Minha linda, esses monumentos são todos belíssimos!! Mas partilho da opinião da Cláudia: o feito mais importante dos portugueses foi tornar sua língua mundialmente conhecida... é isso ai!
Bjo grande,

Mari

Ana disse...

Oi Claudia

Vim aqui agradecer suas visitas que me deixam muito feliz!!!
maravilhosas imagens de construções de origem portuguesas.Estou colocando seu blog na minha listinha par não deixar mais de te visitar...

bjus
ana maria
jeito de casa

Claudia disse...

Claudia,

Eu adoro estes concursos populares, acho que a voz o povo tem sempre razão e em geral não concordo a decisão de especialistas em arquitetura e de gente "sabida" em geral.

Me lembro de eleição das sete maravilhas do mundo moderno onde o Cristo redendor foi eleito enquanto a torre eiffel e a estátua da liberdade não foram eleitos. Houve um chororó de "é injusto" nos EUA e na França como se a estátua no alto de uma montanha no Rio, que é o marco da cidade, não estivesse a altura das torres americana e francesa. Enfim, o povo votou e isso que contou. Engajamento é tudo. Participação também.

E viva as maravilhas de Portugal. Para contrabalançar Camões, eu ataco de Olavo Bilac...

Língua portuguesa

Olavo Bilac

Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela…

Amo-te assim, desconhecida e obscura.
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela,
E o arrolo da saudade e da ternura!

Amo o teu viço agreste e o teu aroma
De virgens selvas e de oceano largo!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,
em que da voz materna ouvi: “meu filho!”,
E em que Camões chorou, no exílio amargo,
O gênio sem ventura e o amor sem brilho!

Mary disse...

Olha, fiquei a conhecer locais que desconhecia de todo, e sem sair do lugar! hehehe:)

justme disse...

lá vim eu à procura do "tanto sublimaram". Acho que é mesmo o nosso fado: fizémos uma coisa grande com os Descobrimentos e o espalhar do nosso idioma tão lindo e nos últimos 500 anos vivemos de recordações. Bjs.

RUTE disse...

Deixei-te um desafio no meu blog :-)

Gostava que aceitasses para te conhecer um pouco melhor. Isto se o internet explorer depois deixar-me entrar! Pois ainda hoje de manhã cá estive e népia de texto central!!!

Beijoka.