quinta-feira, 20 de novembro de 2008

6 - 2

Eis que a CRISE passou finalmente para segundo plano!

E porquê?

Porque o Brasil derrotou Portugal por 6-2, o que se tornou imediatamente no assunto do dia.

Manchetes dos jornais:

«Brasil cilindra Portugal»

«Brasil humilha Portugal com goleada»

«Brasil despachou Portugal com goleada impensável»

«Voltámos ao tempo da bola quadrada»

«Humilhados, selecção goleada no Brasil»

Desabafo do treinador Carlos Queiroz: "Sofremos golos que não podemos sofrer." (Não?????) "Alguns foram mesmo patéticos" eheheh



Para mim, patético é isto:

Que vergonha, Cristiano Ronaldo!

Solução para esta tragédia nacional: Que a Selecção Portuguesa NUNCA, mas NUNCA mesmo volte a jogar num dia 20 de Novembro! É que, neste mesmo dia, mas em 1955, a Suécia ganhou-nos pelo mesmo resultado! Ou seja, a culpa não foi dos jogadores, tadinhos, foi do dia que é aziago......

Felizmente, o jornal METRO preocupa-se com assuntos bastante mais sérios, e tem como destaque uma sondagem cujo resultado conclui que «Andamos pouco felizes» - «Estudo europeu revela que portugueses são dos mais insatisfeitos e infelizes com a sua qualidade de vida.» Pudera...

8 comentários:

ameixa seca disse...

Mas estavam à espera de quê? Ganhar? Com os salários dos jogadores é uma vergonha realmente não termos pelo menos empatado... mas comparando com o Brasil não seria de esperar outra coisa :)

Isabel disse...

Que vergonha! Scolari, volta, estás perdoado! Agora é que ele deve estar a dizer: "E o burro sou eu, né?"

Heloísa disse...

Amiga,
Não sabia que você era tão ligada em futebol. Sabe, por aqui o noticiário não foi grande. Afinal, era um amistoso. A Folha de São Paulo, fez referência ao "fim do jejum" do Brasil, que estava há algum tempo sem fazer "gols". E um jornal da minha cidade, disse que tratou-se de "uma festa brasileira, com certeza".
Beijos

*-._.-* Anita *-._.-* disse...

Pouco assisti ao jogo, só ouvia o narrador cantando as "pedras" da sala de tv, onde meu marido assistia... hehehehe

Não sou muito ligada nisto, mas me pareceu mais um jogo de basquete com tantos "pontos" hehehehehe

Claudia amiga, deixei um desafio pra ti no meu blog, caso queira pegar e ainda não tenha recebido...

beijocas....

Cláudia M. disse...

Ameixinha, nem me fales nos salários dos jogadores... aquilo nem se pode chamar salários, é uma vergonha, um escândalo mesmo.

Acho que o Scolari deve mesmo ter-se rido a bom rir! Até pq agora já não tem que torcer por Portugal.

Heloísa, eu até nem gosto lá muito de futebol, aliás, como já disse, acho tão escandaloso o que os jogadores ganham, que só isso já me faz não aceitar bem esse desporto. Além disso, os desacatos que as claques fazem são outra vergonha. Eu até estava a ser irónica, devido aos assuntos do futebol ganharem logo uma dimensão enorme, mesmo em jogos amigáveis. Essa da "festa brasileira, com certeza", foi bem apanhada...
Mas realmente o resultado foi tão "bombástico" que ainda causou mais celeuma. Como diz a Anita, quase parecia um jogo de basquet, com tanto golo...

Bjs para todas.

Noémia disse...

Coitadinhos, não batam mais nos "mininos", eles ganham pouquinho, trabalham tanto, andam cansadinhos!
Eu gostei foi da musica de homenagem ao resultado que a RFM passou. Era do Paião,não sei o nome mas só fala de 6, meia dúzia e mais umas coisas...hilariante.

Heloísa disse...

Cláudia,
Percebi sua ironia. Sabe, por aqui é a mesma coisa. Derrotas no futebol suplantam as verdadeiras tragédias. E os salários dos meninos, ah os salários, são mesmo um escândalo.
Beijos

Claudia disse...

Menina futebolista!

Eu já tive mais paciência para futebol nesta vida mas faz tempo que retirei este esporte da minha vida. Atualmente eu não aguento nem estar num lugar com gente assistindo futebol.

Tomei horror a futebol por conta do cinismo e da cretinice que domina este esporte.

Mas gostei de ver sua atitude. Tem que criticar mesmo.

Cheguei agora, levemente alcoolizada depois de 4 taças de vinho Californiano bom demais (sou fraca para birita que só vendo!).

Foi uma festa linda e minha amiga estava muito feliz.

Abs,

C.