domingo, 5 de outubro de 2008

Bolo de Nozes Bicolor


Os meus pais, que estiveram há pouco tempo no Alentejo, trouxeram, entre outras coisas, uma carrada de nozes. Então, ontem resolvi fazer um bolo com elas. Até aqui, tudo bem, mas mal eu sabia o que me esperava...

Juro que nunca como ontem me lembrei tanto da amiga Ameixinha, quando as aventuras culinárias dela dão para o torto, e lá vem o chorrilho de vocabulário impróprio para menores...

Mas já lá vamos...


Então lá comecei o bolinho, e fiz assim:

Ingredientes:

250 gr de açúcar amarelo

6 ovos

250 gr de nozes raladas

Pois, a receita só fala nestes ingredientes. Eu achei um pouco estranho não levar nenhuma farinha nem fermento, mas lá segui as instruções. Quer dizer, não segui à risca (como é hábito), porque acrescentei uma colher de café de fermento, e usei 8 claras em vez das seis (acho que foi aqui que comecei a meter a pata na poça, porque a massa estava de facto com uma consistência, como direi... talvez demasiado leve.)

Batem-se as gemas com o açúcar e adicionam-se as nozes, guardando algumas para a decoração.

Batem-se as claras em castelo e junta-se cuidadosamente à mistura anterior.

Ora bem, o bolo, depois de 30m no forno, estava muito bonito, só que, depois de o retirar, e passados nem 5 minutos, estava em menos de metade do tamanho!!

Ó pá, eu não sei porque é que isto me acontece! Eu já faço bolos praí há uns vinte e tal anos - estou mesmo velha!! - portanto, não é por falta de experiência! Arre, que fiquei mesmo MUITO chateada!

Bem, e então foi aqui que cheguei à fase dos RAIOS E CORISCOS! Foi um tal de pensar (e dizer algumas) coisas feias, que só visto (ou, neste caso, ouvido - mas felizmente ninguém ouviu, porque eu estava sozinha na cozinha, e a filhota estava tão entretida a ver desenhos animados que não ouviu os disparates, apesar de depois se ter apercebido que eu estava um bocado chateada, quando eu lhe fui mostrar o resultado do nosso trabalho. Sim, porque ela quer sempre ajudar, quanto mais não seja a comer a massa que fica na tijela... )

Fiquei mesmo fula, a olhar para aquela amostra de bolo! Que ainda por cima era para levar uma cobertura de chocolate. E eu pensei: o quê, vou ter trabalho a fazer uma cobertura para ISTO?

Foi então que me passou assim uma coisa pela vista, e decidi, nada mais nada menos, que fazer OUTRO BOLO, não sem antes ter chamado uns nomes ao primeiro, coitado.

Resolvi então fazer um bolo (mais ou menos) com os mesmos ingredientes, mas em menor quantidade. A ideia era ficar com dois "mini-bolos". Já que não tinha conseguido fazer um bolo grande para cortar ao meio e rechear, ia um por cima do outro, com o creme do chocolate entre eles, e como cobertura.

E assim foi.

Desta vez pus farinha (150gr), porque estava com a mania que o "desastre" anterior tinha sido por falta dela, e não bati as claras em castelo, pus os ovos inteiros. Além do mais, é muito mais prático, e eu já estava um bocado passada.

Bom, posto isto, lá pus o plano em prática: coloquei o bolo anão (entretanto já tinha encolhido mais um bocadinho) num prato, cobri com o creme de chocolate (200 gr de chocolate derretido em banho-maria, misturado com um pacote de natas batidas - muito bom!), coloquei o segundo bolo por cima, e toca a cobrir com o delicioso creminho. De seguida polvilhei com nozes raladas.

Ficou mais ou menos assim (ao vivo estava mais bonitinho):





Aqui está a vista do interior:



Pode ver-se a diferença entre os dois bolos. O mais escuro é o primeiro que, apesar de quase ter desaparecido do mapa, ficou com um sabor óptimo - melhor do que o outro, mais molhadinho (claro, sem farinha...). Como disse a minha filha, «aquele que tu ficaste furiosa é que ficou mais delicioso!» A construção da frase deixa um bocadinho a desejar, mas dá para perceber a ideia...


Entretanto, o jantar foi arroz de feijão com bacalhau frito. Muito bom. E não estava tremido!



E à sobremesa, o famoso bolo, que depois de toda aquela saga, até que ficou bastante comestível!!

9 comentários:

ameixa seca disse...

Parece-me é que o "Arre" e o "ISTO" foram trocados por uns nomes menos próprios quando viste o resultado do bolo ;)
Há coisas que é suposto ficarem pequeninas mas muito saborosas ;)

Nana disse...

Amiga,
não fica assim não!
Realmente as claras depois de fria dá aquela muchada.
Mas vc deu um jeitinho hehehe
Menina, na foto a cobertura ficou verde, hehehe ia perguntar o que era, mas li e reli... era nozes.
Bjs

Isabel disse...

Que grande aventura na cozinha! Mas o que interessa é que o resultado final estava bom. Fiquei com vontade de experimentar.

Cláudia M. disse...

Ameixa, se eu fosse escrever o que disse e pensei, tinha que pôr bolinha vermelha no cantinho do blog! Fiquei mesmo furibunda, qdo vi o bolo "a desaparecer" à frente dos meus olhos! (Já me aconteceu uma parecida aqui há uns anos, mas foi com um molotof!!)
Mas olha, o bolo ficou bom, e isso é o principal. Bjs

Nana, eu tb reparei que o bolo na foto estava esverdeado, não sei que fenónemo foi esse; sabe, deve ser da qualidade da m/ "máquina fotográfica", que é um telemóvel (vcs dizem celular, não é? pelo menos é o que aprendemos nas novelas...). Mas ao vivo não estava dessa cor, posso garantir, até que estava com bom aspecto! Bj

Maninha, foi mesmo uma aventura daquelas... aliás, se tu o sabes... tiveste que levar com o meu telefonema em plena fúria... mas no fim tudo se resolveu! Bjs

justme disse...

Faço um parecido mas leva amêndoa e gila, tb não leva farinha mas não faz mal pois a amêndoa moída(com a pele) funciona como a farinha : dá-lhe consistência, claro que não cresce. Mas percebo, perfeitamente a fase dos raios e coriscos, quando tenho esta fase vem sempre acompanhada de uma vontade imensa de atirar tudo pela janela, :). Gostei do blog, felicidades e bjs.

Mundo de Alice disse...

Hehe
fico a imaginar as palavras impróprias...mas que bom que no fim saiu tudo certo
bjs

Cláudia M. disse...

Olá "Cat eyes". Esse bolo com amêndoa e gila até me fez crescer água na boca, só de imaginar! Posso ter a receita,please?
Qto às nozes raladas, eu tb pus essa hipótese de "substituírem" a farinha, mas estava meio desconfiada, e comecei a inventar... queria tanto que ele crescesse, que acabou por ficar mini. Mas lá se resolveu!
Obrigada pela visita, fico contente que tenhas gostado, volta sempre. Bjs

Cláudia M. disse...

Pois é, Alice, lá arranjei maneira de resolver o problema, mas não sem antes ter que desafabar. Foi mto mau, ver o bolinho quase desaparecer... e afinal ficou tão gostoso! Vou ter que repetir.
Bjs

justme disse...

Cláudia ainda esta semana vou colocar a receita do bolo que queres no meu blog (sem foto pq não vou fazê-lo por estes dias), devo dizer-te que até eu que não aprecio muito gila gosto deste.Tb gosto de inventar, o que por vezes é um problema pq nem sempre me lembro de como inventei quando quero repetir.Obrigada pela visita, bjs. (para a filhota tb)