sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Era suposto ser uma frase...

Ora bem, a minha querida* Ameixa lançou-me um desafio, e vou finalmente responder.

Peço desculpa, mas vou alterar um pouco "as regras do jogo".

Era suposto pegar no livro mais próximo, abri-lo na pág. 161, e transcrever a 5ª frase.

Eu peguei mesmo no livro que ando a ler (finalmente arranjei um tempinho para ler um livro...), mas a 5ª frase da p. 161, fora do contexto, não dizia nada.

Como tal, resolvi transcrever um excerto da p. 100:

«Para o bom católico, basta observar o que dizem os mandamentos, e não cometer os pecados capitais. No entanto, para quem pretende seguir o caminho da santidade, não pecar é pouco. É preciso atingir o extremo oposto.

Não é suficiente fugir da luxúria; é necessário ser casto até mesmo em pensamentos. Não é bastante evitar a ira; é preciso amar o próximo como a si mesmo. Não vale simplesmente resistir à gula; deve-se jejuar sempre que possível, e passar a desprezar na comida tudo o que evoque prazer. Não permitir que os olhos faísquem de cobiça? É pouco. O santo doa tudo o que é seu, faz voto de pobreza, nada mais possui e nem deseja possuir além da graça divina.

Matar em si tudo o que é mais humano é a essência da iluminação em muitas religiões. O trabalho começa de dentro, do fundo da alma. Teresa sabia disso. E estava plenamente consciente da árdua tarefa que teria pela frente.

Mas como matar as paixões, logo ela que flamejava?»

O livro chama-se «Teresa, a Santa apaixonada», da escritora brasileira Rosa Amanda Strausz, e é uma biografia romanceada de Teresa D'Ávila, nascida na "Espanha barroca e inquisitorial do século XVI" e que se tornaria mais tarde Santa Teresa de Jesus, a "doutora da Igreja".



«louca, sedutora, herege ou uma mulher apaixonada por Deus?»
é o que se pode ler na capa do livro.
Ainda vou a meio da leitura, mas estou a achar muito interessante.
Mas definitivamente não quero ser santa... entre outras coisas, porque quero comer MUITO chocolate e MUITOS bolos e ter imenso prazer com isso...
Não vou passar o desafio a ninguém em especial, mas se alguém quiser aproveitar a ideia, faça favor...

*sim, a minha querida Ameixa, porque aquela treta toda do bate boca, era só brincadeira....... será??

P.S.: Tenho mais alguns desafios em lista de espera, mas vai indo com calma... obrigada pela compreensão.

5 comentários:

Axly disse...

Às vezes adaptações são necessárias.
Belo trecho.
Kisss^^

Isabel disse...

Eu definitivamente também não almejo ser santa. Mas esse livro deve ser bem interessante. Boa dica.

Nana disse...

Amiga, o meu também saiu nada com nada kkk
Bjs

ameixa seca disse...

Isso é o que dizes porque a novela tem próximos episódios :) E não me venhas agora com uma de "querida" e a dar uma de Santa com a Teresinha que eu já não caio nessa ;)
Este excerto dá pano para mangas, sem dúvida alguma que eu nem sou boa católica nem sou santa nenhuma. Se há "sítio" em que eu não sou casta é nos pensamentos e até amava o próximo como a mim mesma, se esse próximo não tivesse ido para as lisbones passear os calcantes :)
Mas se o voto é de pobreza, alto e pára o baile. O Sócras é o Santo Mor, ele tem o poder de ter feito com que a maioria do povo português fizesse esse voto! Olha Sócras, sabes o que te digo? Encontramo-nos lá no céuzinho e depois vais sentir na pele aquela linda frase "Um santo caiu do altar"... vais beijar o cimento que vai ser uma beleza!
Abraços aos pecadores :)

Claudia disse...

Claudia

E eu não acabei estudando num colégio de freiras teresianas... E graças ao mundo livre e generoso dessas freiras acabei atéia (ateísta). Estas freiras e padres liberais são tudo de bom. Maior respeito por eles eu tenho....


Beijos,

C.