quarta-feira, 2 de maio de 2012

Vergonha alheia



Ainda não estamos em guerra civil...
Ontem não se verificou em Portugal nenhuma catástrofe natural...
Mas houve prateleiras de supermercado completamente esvaziadas, houve empurrões e até pancadaria...
E "por acaso" ontem era  Dia do Trabalhador, os supermercados e hipermercados deviam estar encerrados...

MAS...

Aconselho em particular a reportagem TVI, aos 5m49s

Pingo Doce deve ser penalizado se violou concorrência - Portugal - DN

«A ASAE (Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica) vai averiguar se os supermercados Pingo Doce cometeram alguma ilegalidade. Em causa está um desconto de 50% nas compras superiores a 100 euros. Já o sindicato do comércio admite apresentar queixa à Autoridade da Concorrência.
Fonte da ASAE disse, à agência Lusa, que nesta altura já está a recolher documentação para determinar se existiram, ou não, infrações na campanha lançada na terça-feira pela Jerónimo Martins nos seus supermercados.
Isto porque ontem os comerciantes acusaram o Pingo Doce de vender produtos abaixo do preço de custo. A Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE) promete atuar caso haja algum indício de praticas ilícitas.
O Bloco de Esquerda já pediu a intervenção com «celeridade» da autoridade da concorrência. O bloco entende que o grupo do Pingo Doce teve uma «atitude provocatória contra os direitos dos trabalhadores».
Também o PCP denuncia que as cadeias de super e hipermercados violaram os acordos coletivos de trabalho do setor ao «obrigarem» os funcionários a trabalhar no 1º de maio e querem ouvir o ministro da Economia e do Emprego sobre o caso Pingo Doce, onde se suspeita da prática de dumping.


Já a CGTP desafiou o Governo a enfrentar Soares dos Santos.

A promoção de ontem causou o caos, com dezenas de milhares de pessoas a tentar aproveitar a promoção.

Os parques de estacionamento encheram logo antes da abertura das portas. Em algumas lojas, a polícia teve mesmo de intervir por causa de desacatos entre clientes.

A afluência foi tal que algumas lojas tiveram de fechar para repor as prateleiras e voltar a abrir para atender os clientes que se juntavam à entrada.

Os stocks esgotaram e o número massiço de aderentes aliado ao desespero por conseguir comprar levou a alguns desacatos que obrigaram à intervenção da polícia. »


****

Este assunto provoca-me duas reacções: uma é dizer apenas: QUE VERGONHA!
A outra é dizer e/ou perguntar várias coisas. E tenho que dizer, não me consigo calar. Ficam aqui apenas algumas questões que me coloco, falando com os meus botões...


1. É a primeira vez, desde o 25 de Abril de 1974, que os "patrões" dos super e hipermercados se atrevem a forçar os seus funcionários a trabalhar no 1º de Maio. E porquê? Porque têm as costas muito bem protegidas pelo governo.


2. Se o Pingo Doce ontem vendeu todos os produtos a metade do preço, porque não pratica esses preços no dia-a-dia? Se ontem teve lucros, porque não adopta esses preços sempre?


3. Onde terão ido parar os "heróis do mar, nação valente e imortal"? Quase não sobraram vestígios desse "nobre povo".


4. O que se veria em Portugal, numa situação de catástrofe? Se ontem foi o que se viu, pessoas a esmagarem-se e à pancada para fazer compras com 50% de desconto, o que seria em caso de um terramoto, ou coisa que o valha? DEUS NOS LIVRE!!


5. Será impressão minha, ou a esta hora grande parte daqueles produtos comprados com tamanha sofreguidão já estarão em caixotes do lixo? Produtos congelados, iogurtes e outros que tais, terão resistido a CINCO ou SEIS horas na fila do supermercado??


6. Eu estou pasma até agora, com a brutalidade de toda aquela situação. E o pior é que não me parece, de todo, que a crise seja uma justificação para o que aconteceu. Não me parece, de maneira nenhuma, pelas imagens que passaram nas televisões, que grande parte daquela gente esteja a passar necessidades. Aquilo foi sofreguidão pura e dura, foi gosmice, avidez, açambarcamento, foi querer apanhar este mundo e o outro, eu sei lá o que aquilo foi, foi uma total falta de civismo, só justificável em situações de hecatombe.


E muitas coisas haveria ainda a dizer, mas enfim, cada um que tire as suas conclusões. Só me resta repetir o que se ouve por aí: AO QUE ISTO CHEGOU!



5 comentários:

Isabel disse...

Realmente, toda esta situação foi vergonhosa, tanto da parte dos supermercados Pingo Doce que aproveitam a sombra de crise que paira sobre a cabeça da população para esmagar a concorrência, como da parte da própria população que perdeu oslimites do razoável e entrou num histerismo injustificado.
Eu não fui ao PD no 1º de Maio!

Lúcia Soares disse...

Cláudia, é incrível como as pessoas enlouquecem quando veem uma liquidação. Seja do que for. Lojas nos Estados Unidos, que fazem liquidações de até 70%, mostram todos os anos a correria que é, mulheres e homens bem vestidos se engalfinhando, rasgando roupas, tomadas das mãos de outros, um caos total.
Esta á a tal de "levar vantagem", que existe em todo ser humano e por aqui no Brasil se gosta de dizer que é coisa de brasileiro. Bem se vê que acontece onde for, basta que se dê preços menores a que produto for.
Eu não iria nunca a um contecimento desses, sempre desconfio da necessidade de ter um produto apenas porque ele está mais barato.
E não tenho vergonha pelos que vão, eles que se sintam envergonhados depois, viu? rsrs
Beijo!

Heloísa disse...

Claudia,
É uma situação absurda, mas que realmente acontece.
Pegar fila para entrar, para pagar, ficar horas na confusão, para muitas vezes comprar o que não é necessário, mas só para aproveitar o preço.
Tem gente que gosta.
Beijo.

Calu disse...

Claudia,
impressiona o que a ilusão de economia faz com a lógica.Derruba ao chão qualquer resquício de bom senso e leva as pessoas aluadas a cometerem desatinos como este que vc descreveu.
Isto acontece tbém nos EUA e em outras cidades que fomentam esta prática incivilizada.
Cada uma de tuas questões pondera claramente os absurdos dos acontecimentos no 1º de Maio, que deveria antes de tudo ser respeitado pelos patrões deste estabelecimento.
Òtimo destaque.
Bjnhos,
Calu

Lina disse...

Olá, Cláudia! Incrível como pensamos exatamente da mesma forma! Embora eu tivesse sido muito criticada por manifestar a minha opinião desta forma(não no blogue, é claro!)! Pelos vistos os resultados demonstraram que quem foi ao PD não eram pobres(novidade?) e eles tiveram um lucro enorme. Concluo então: Bem se estava tanta gente a comprar desenfreadamente, a crise onde está? Se o lucro foi grande com 50% de desconto imagina com preço normal...Há qualquer coisa que não bate certo! Mas continuo a achar que a crise maior é de valores, de educação e de juízo!Infelizmente quem sofre de verdade fica escondido no meio de tanta azáfama e exagero desta sociedade barulhenta!

Vou seguir aqui este teu cantinho também, para degustar estes teus textos deliciosos, que bom que chamaste a atenção para o texto e aterrei aqui!
Beijocas