sexta-feira, 1 de julho de 2011

Um ano e um dia OU um dilema existencial

Há 16 dias que estava para fazer um esclarecimento, e só hoje houve oportunidade. Como tal, lembrei-me de um "ditado" que sempre ouvi aos meus pais: «uma resposta tem um ano e um dia». Não sei qual a proveniência do dito, mas cheira-me que seja do Alentejo (de onde o meu pai é originário), já que um ano e um dia para dar uma resposta é coisa que implica muita calma... um ritmo assim meio lento...
Mas o que se quer dizer é que nem sempre a resposta ocorre na hora; por vezes, depois de pensarmos sobre o assunto  é que nos ocorre a resposta acertada. 

Não é o caso desta situação. Na altura pensei logo em prestar o esclarecimento, mas depois varreu-se-me. Mas, como ainda estou dentro do prazo, cá vai: 
No dia 15 de Junho, aquando da blogagem colectiva fases da vida, escrevi este texto.
Houve algumas pessoas amigas que ficaram preocupadas com o meu desconsolo por já não ter 20 anos.  :)
Não é que não tenha algum... mas as palavras do início da minha postagem deveram-se a ter-me lembrado do refrão desta canção:





Mas afinal a história não acaba aqui. Na minha memória estava esta canção assim de uma forma um bocado desfocada, lembrava-me do refrão, lembrava-me de "quem me dera... ter outra vez desenganos... para te amar outra vez". E não era por aí, por questões amorosas, que eu queria voltar aos 20 anos. :))

Entretanto, hoje fui procurar o vídeo, e sinceramente foi um momento tão forte ouvir a Cidália Moreira a cantar, que dei por mim em lágrimas. Emocionei-me demais ao ouvir esta mulher fabulosa, há muitos anos que não a ouvia, e já quase não me lembrava como adoro a sua voz, a força das suas interpretações. Foi um momento arrepiante, neste momento considero que encontrei uma verdadeira pérola ao achar este vídeo. 
Isto tudo para dizer que uma ida ao youtube na maior descontracção, tornou-se num momento muito forte. Já ganhei o dia. Mas, fogo, pá, o problema é que agora é que fiquei mesmo com vontade de ter OUTRA VEZ VINTE ANOS!

11 comentários:

Gina disse...

Esses saudosismos nos batem de vez em quando.
A cada dia descubro mais afinidades com você. Não costumo ter respostas prontas para o momento, mas quando reflito, aí sim consigo me posicionar.
Quanto aos vinte anos, que já se vão a passos largos (pelo menos para mim)..., é melhor deixar quieta essa parte e olhar mais para os sonhos que nos impulsionam para a frente.
Chorar e rir faz parte de nossa vida, mas espero que tenha muito mais motivos para rir, combinado?
Está chegando a fase da maturidade, o que será que vem por aí? Dia 15 espero você conosco novamente.
Bjs.

Luciana disse...

Oi Cláudia, obrigada pela visita, bom saber que você me ler e agora fico conhecendo seu blog também.
Vou te adicionar e assim posso te acompanhar e ler o blog porque só agora encontrei ele.
Beijo

Isabel disse...

Eu às vezes também tenho vontade de ter outra vez 20 anos, para fazer tudo o que não fiz...
Mas depois passa, o presente é o melhor momento.
Adorei ouvir e ver a Cidália Moreira e no fim exclamei: Ah, fadista!
Bjs

Cláudia disse...

Gina, também me acontece muitas vezes só ter a resposta certa passados uns tempos e alguma reflexão. Ainda bem que não sou a única (rs), porque às vezes fico irritada por não ter "resposta pronta" em algumas situações.
Quanto ao choro, posso lhe dizer que já chorei mais hoje do que em meses... mas foi um choro bom, daqueles que deixam a alma aliviada.
Dia 15 conto estar presente. :)

Cláudia disse...

Luciana, é um prazer vê-la por aqui. Até já. :)

Cláudia disse...

Maninha querida, pois a cena é essa, o que podíamos ou devíamos ter feito... às vezes "bate" a nostalgia... mas o presente é que é para viver!
O que eu já chorei hoje com a Cidália. A música, a entrevista, a vida dela, a minha vida... :)
Mas é o que me disseste há bocado, pelo menos eliminei toxinas!

Ivani disse...

Olá Claudia! fiquei muito feliz quando vi seu comentário lá no Samambaia.
Feliz e surpresa, porque meu marido era filho de português. Meus filhos são descendentes de português e isso muito nos orgulha.
Meu sogro, Joaquim Monteiro Ramos, chegou ao Brasil com sua familia aos 14 anos.
Hoje já é falecido, infelizmente, mas temos lindas recordações de sua terra, de tanto ele nos contar.
Ele nasceu em Alverca da Beira, próximo de Pinhel, conhece?
Espero que sim.
Volte quando puder e eu também virei visitar seu blog sempre.
Quanto ao fato de os portugueses serem nostálgicos, acredito que está na cultura de vocês, na saudade de quem partia pelo mar, nas lágrimas de quem ficava. Acredito que os portugueses foram dos povos que mais partiram para explorar o mundo, e sofriam as despedidas e as saudades, sempre.
Eu penso assim.
Obrigada pela visita, minha querida, volte sempre. beijos brasileiros...

Cláudia disse...

Ivani, muito obrigada pela sua simpatia. Por acaso não conheço Pinhel, apesar de conhecer algumas localidades ali perto, como Trancoso, Celorico da Beira e a cidade da Guarda.
E eu moro numa cidade chamada Alverca, mas fica perto de Lisboa, onde nasci.
Visitarei o seu blog com mais atenção, agora estou com bastante tempo livre. Até já. :)
bjs

Cenourit@ disse...

A expressão "um ano e um dia" é usada na minha actividade profissional e caracteriza-se por um prazo de um investimento. E olha que sinceramente nunca percebi o porquê de se acrescentar um dia a um ano...
Não consegui ouvir a Cidália Moreira porque a Lira andou em cima do meu PC e deve ter desactivado o som mas vou voltar aqui para ouvir, pois não sei se será esta uma das músicas dela que também me marcou e há umas semanas atrás estive a ver uma entrevista dela na TV... emocionei-me qb e recuei no tempo... Saudades dos vintes... também tenho e sobretudo daquilo que deveria ter feito e vivido nessa altura e não fiz, não vivi... mas a vida é assim :)

Beijocas***

Cláudia disse...

Querida amiga Cenourita, não sabia que o tal prazo de "um ano e um dia" tinha essa aplicação, só conheço a expressão de a ouvir aos meus pais, mas acredito muito nela. :)

Com que então a menina Lira anda a sabotar as funções do PC, aiaiai!
Olha, eu ontem ouvi aquele fado umas 3 vezes, e adorei ouvi-lo, apesar de me ter feito chorar. Mas como já disse, foi um choro bom. Isto pode parecer estranho, mas eu acredito no choro bom, e aliás até tenho necessidade dele de vez em quando, para limpar a alma.

RUTE disse...

Venho no rápido dizer-te que:
apesar do trabalho de parto demorado, quando "parires" avisa. Serás sempre bem vinda à Maturidade a qualquer dia, a qualquer hora.
Chora, grita, espernei, mas não deixes de me avisar para que a lista eu possa atualizar :)
Beijito!
Rute