quinta-feira, 15 de março de 2012

Encantamento


BCAP - 1ª fase

Apesar das "dificuldades logísticas", venho dizer presente! a mais este desafio.


Para abordar o tema, que nesta 1ª fase será o encantamento, escolhi a história de Pedro e Inês, o romance de amor mais famoso da História de Portugal, inspirador de inúmeras obras artísticas, passando pela Literatura, Cinema, Pintura, e outras formas de arte. Enfim, são os nossos «Romeu e Julieta». E uma vez que grande parte dos(as) participantes desta colectiva são brasileiros(as), convido-vos a conhecer um pouco da riquíssima História de Portugal, muitas vezes esquecida ou subvalorizada. 

Quem são Pedro e Inês?
O Infante D. Pedro, futuro rei D. Pedro I de Portugal (O Justiceiro).
Dona Inês de Castro, nobre galega, que chegou a Portugal integrando o séquito de Dona Constança, futura esposa de D. Pedro.

Dona Constança chegou a Portugal no ano de 1339, para se casar com o Infante D. Pedro. Escusado será dizer que nunca se tinham visto, já que se tratava de um casamento combinado pelas famílias, como era habitual na época.
Ao que parece, Dona Constança enamorou-se por aquele que se tornou seu esposo a 24 de Agosto desse ano, mas... ele iria encantar-se pela bela Inês, e esta por ele.

Este encantamento viria a trazer grandes e variadas complicações, mas tornou-se sem dúvida num dos episódios mais lendários da nossa História.



«(...) por ter perdido a ocasião de desfrutar da visão daquele colo alvíssimo, daqueles serenos olhos azuis e do sorriso que, apenas esboçado, iluminava o rosto de Inês. Quanto havia rogado, antes de entrar no salão, que a jovem que havia visto de relance na liteira fosse a sua futura esposa! Como seria fácil amá-la! Mas não era ela! »

Uma perspectiva romanceada do que teria sido a primeira troca de olhares entre Pedro e Inês, num excerto do belíssimo livro Inês de Castro, de María Pilar Queralt del Hierro.



VARIAÇÃO SOBRE ROSAS

Como as rosas selvagens, que nascem
em qualquer canto, o amor também pode nascer
de onde menos esperamos. O seu campo
é infinito: alma e corpo. E, para além deles,
o mundo das sensações, onde se entra sem
bater à porta, como se esta porta estivesse sempre
aberta para quem quiser entrar.

Tu, que me ensinas o que é o
amor, colheste essas rosas selvagens: a sua
púrpura brilha no teu rosto. O seu perfume
corre-te pelo peito, derrama-se no estuário
do ventre, sobe até aos cabelos que se soltam
por entre a brisa dos murmúrios. Roubo aos teus
lábios as suas pétalas.

E se essas rosas não murcham, com
o tempo, é porque o amor as alimenta.


Nuno Júdice
Pedro, Lembrando Inês

**********

Espero vir a desenvolver melhor este tema em outras fases, quando fizer as pazes com o acesso à net, que neste momento está complicado. :)

21 comentários:

Heloísa disse...

Cláudia,
Foi um romance lindo, e trágico.
Quando estive em Alcobaça, visitei o túmulo de D. Pedro e de Inês de Castro.
Beijo.

✿ chica disse...

Sensacional tua participação trazendo esse pedaço de vida e literatura!!! beijos,chica

Socorro Melo disse...

Olá, Claudia!

Eu não conhecia a história de amor de Pedro e Inês de Castro, e fiquei encantada. Grandes paixões, encantamentos intensos, não morrem com o tempo, se perpetuam na História.

Beijos e encantos
Socorro Melo

Lúcia Soares disse...

Bem lembrado, Cláudia, o amor a que tudo resiste, e se estende após a morte. Um amor trágico, mas belo demais.
Não sei se há filme sobre a história, sabe me dizer?
Beijo!

Orvalho do céu disse...

Olá, querida amiga Cláudia

"Somente quem ama e se permite amar
é que detém o tesouro do
verdadeiro
AMOR!
(Kiro)

Mais uma emoção rola no ar... que maravilha poder contar com tanta gente impregnada de amor!!!
Encantada por assim dizer... Enamorada pela vida...
Amando o amor...
E pelo Amor sendo amada...

Duas pessoas se recordaram deste amor impulsivo e encantado... Bem lembrado!!!
O Encantamento é ardente mas, ao mesmo tempo, doce... controvérsia???
Nem tanto!!!
Altos e baixos da "pressão" que ele exerce em nosso peito...
Linda a sua participação e cultural... isso conta muito!!!

"Orvalhou o próprio Céu ante a face do Senhor"...
Bjm encantado e vibremos com a festa do amor.

Ivani disse...

Ela deve ter sido realmente linda, encantadora.
Esse amor foi belo, porém trágico.
Adorei vir até aqui e ler sobre isso.
Muito bom. Beijos querida.

Tetê - Sem Neuras disse...

Brilhante a sua participação! E seu blog é muito bom! Estou encantada! Bjks Tetê - Avaliando a Vida

Noémia disse...

Ora ainda bem que Pedro e Inês te inspiraram e te fizeram fazer as pazes com a "blogagem".
Este é um dos episódios que utilizo muito para aproximar os jovens da leitura e resulta. Truques! :)

Anónimo disse...

Bom saber dessas histórias. E que belo nome, Inês de Castro!

Bel Rech disse...

Lindo a história deles..uma parte, pois estou conhecendo por aqui e em outro blog também contava uma parte desta história linda.Sempre é encantador conhecer mais e mais..Vou buscar mais informações pois me aguçou os sentidos...
Paz e bem

RUTE disse...

Pois é, D.Inês coroada rainha depois de morta. Isso é um amor que transcende as leis fisicas, está para além do que a humanidade pode explicar.

Outros tempos mais duráveis :)
Hoje os amores são um bocadinho descartáveis :(

Acredito que toda a dificuldade envolvida, a impossibilidade de concretizar o amor tenha ajudado a intensificar.

Gosto da forma como os poetas cantam o amor, com imensa profundidade.
Obrigada por te juntares a nós em mais uma maravilhosa coletiva. É especial o calor humano que se sente nestes dias.
Beijinhos.
Rute

elvira carvalho disse...

Este foi um dos muitos imortais amores que iluminaram a humanidade e que todos conhecem. Só que esta diz-nos mais porque é nossa.
Um abraço e bom fim de semana

Camille disse...

Adorei essa paixao de Ines e Pedro. Deve ter sido uma epoca bonita.
Bjos

Zilda Santiago disse...

A história é bem conhecida no Brasil!!!!Estou participando com dois blogs,tentando mostrar algo mais sobre a fase do encantamento comum a todas nós!!!http://zildasantiago.blogspot.com
http://rumoslibertadores.blogspot.com

Calu disse...

Que encanto trazeres nessa coletiva o amor eterno de Pedro e Inês, que emociona a todos os corações que dele tomam conhecimento.
Aliás, a história é conhecida por muitos aqui no Brasil.
De fato, um forte encantamento!
Adorei, Claudia!
Bjos,
Calu

Luma Rosa disse...

Santa sincronia de ideias!! O Blogue "Voz Ativa" teve o mesmo enfoque! Como comentei por lá, sempre me emociono com a história de amor de Inês de Castro e o príncipe D. Pedro. Parabéns pela escolha do tema!! Boa semana!! Beijus,

Lina disse...

Olá,Cláudia! Ainda bem que estás aqui também(as maninhas todas juntas outra vez...). O amor de Pedro e Inês é tão lindo, tão transcendente, que parece uma lenda. O poema é maravilhoso! Adorei a tua participação e acho que te saíste muito bem apesar da malvada net!
Beijinhos

Anne Lieri disse...

Claudia,um romance inesquecivel e muito lindo o que nos recordou!Eu adorei sua participação!Bjs,

lugirão disse...

Claúdia, um belo romance, embora trágico... a mesma estória com enfoque diferente.
Uma boa referencia de quando acontece o encantamento.
Uma história emocionante.
Bjos!

Tony disse...

Oi Claudia,

Tema super interessante, em se tratando de casos de encantamentos. Também comentamos esse caso enosso blog (vozativa).
Ficamos contentes com sua visita e comentários.

bjos

RUTE disse...

Estou a ver que a tua próxima participação vai ser em sinais de fumo :)
Então essa net não há meio de estabilizar!?
É por essas e por outras que não mudo de operadora de telecomunicações. Eles até podem acenar com promoções, assediarem-me com telefonemas... mantenho-me fiel há anos! Desde que a clix começou e que agora é óptimus. Tenho tv,net e telefone, tudo no mesmo.
Beijinhos de saudades.
Rute